Patrocinado


Você está em: Grêmio 2021 - Jogo de Hoje

Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense (conhecido apenas por Grêmio e cujo acrônimo é FBPA) é um clube de futebol brasileiro da cidade de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, fundado em 15 de setembro de 1903. Suas cores são azul, preto e branco. O clube tem como alcunhas Imortal Tricolor, Tricolor dos Pampas, Tricolor Gaúcho e Rei de Copas, devido ao seu histórico especialmente vitorioso em competições de mata-mata.

Já foi campeão da Copa Libertadores da América em três ocasiões (o que o torna o clube brasileiro com mais conquistas nesta competição, ao lado de São Paulo e Santos) e vice em duas outras oportunidades, sendo o único clube brasileiro a ter decidido a competição em quatro décadas diferentes. É o primeiro clube fora do Sudeste a conquistar títulos de dimensão continental e mundial, sendo campeão da América e do Mundo em 1983. Também é bi-campeão da Recopa Sul-Americana, tendo conquistado este torneio em todas as vezes em que o disputou. Conquistou ainda dois Campeonatos Brasileiros da Série A, um Campeonato Brasileiro da Série B, cinco Copas do Brasil e uma Supercopa do Brasil (recordista ao lado do Corinthians e Flamengo), além de uma Copa Sul (único vencedor desta competição) e um Campeonato Sul-Brasileiro (também sendo o único vencedor desta competição). Já foi campeão trinta e oito vezes do Campeonato Gaúcho, uma vez da Copa FGF e uma vez da Recopa Gaúcha. No que diz respeito ao somatório de títulos oficiais de abrangência nacional e internacional de clubes brasileiros de futebol (sem contar títulos oficiais de abrangência estadual e regional). Em setembro de 2019 o Grêmio figurava como o mais vitorioso entre os clubes que não são da Região Sudeste do país.

O clube já revelou vários futebolistas de renome internacional ao longo de sua história, como Lucas Leiva, Emerson, Douglas Costa, Renato Portaluppi, Ânderson Polga e Ronaldinho Gaúcho.

O Grêmio é o clube de futebol com o segundo maior número de associados no Brasil. O Tricolor gaúcho possui 146.536 associados em dia, conforme dados de outubro de 2018. Em pesquisa publicada em dezembro de 2016, do Instituto Paraná Pesquisas, com a participação de 10.500 brasileiros de 22 estados, além do Distrito Federal, apontou-se que o valor percentual de torcedores gremistas é de 3,5% dos brasileiros. O time aparece como a sétima maior torcida do País. O estudo também demonstrou que na região Sul, os gremistas estão em maior número de torcedores, correspondendo à 20,5% dos entrevistados. A torcida do Grêmio, bastante identificada com a cultura incondicional das hinchas platinas, é considerada por estudos a torcida mais fanática do Brasil, por seu engajamento, seu conhecimento sobre a história do clube e sua disposição em prover recursos ao Grêmio através da compra de produtos e da presença no estádio.

História
Ver artigo principal: História do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense
1903-1953 – O início, do amadorismo até a profissionalização

Foto do primeiro time gremista, em dezembro de 1903

Equipe do Grêmio que conquistou o título do Campeonato Gaúcho de 1932. Em pé: Poroto, Nenê, Sardinha I, Foguinho, (), Heitor, Luiz Carvalho e Lacy. Agachados: Amâncio, (), Sardinha II, Eurico lara, Dário e Comani.
Após o esvaziamento da bola da partida, o paulista Candido Dias da Silva, um comerciante sorocabano, emprestou a pelota que trazia. Em troca do favor, ele recebeu lições de como se fundar um clube de futebol; oito dias depois, trinta e dois homens se reuniram no Salão Grau, restaurante de um hotel da rua 15 de Novembro (atual Rua José Montauri), no Centro de Porto Alegre e fundaram o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense.

O primeiro jogo do recém fundado clube ocorreu em 6 de março de 1904, contra o FussBall Club Porto Alegre, fundado no mesmo dia que o Grêmio. Em uma jornada dupla (dois jogos na mesma tarde), o Grêmio garantiu as suas duas primeiras vitórias, vencendo ambas por 1 a 0. Em 20 de julho de 1904, o uniforme foi mudado para um modelo metade azul metade preto.

A primeira competição disputada foi a Taça Wanderpreiss, com a primeira edição em 6 de março de 1904, vencido pelo Grêmio contra o Fussball Club Porto Alegre. Alguns anos depois, em 18 de julho de 1909, o primeiro jogo contra o Sport Club Internacional, que mais tarde se tornaria o seu arquirrival, foi disputado, com vitória de 10 a 0 para os tricolores. No ano seguinte, foi criada a 1ª Liga de Clubes de Porto Alegre, por ideia vinda do Grêmio. Posteriormente, foi realizado o Campeonato Citadino de Porto Alegre, o qual o Tricolor venceu ininterruptamente de 1911 a 1915. Mesmo amador, o clube já jogava contra equipes de outros estados, ou até mesmo países. Na década seguinte, a hegemonia do clube continuou. O pentacampeonato metropolitano (1919-1923) e o título de três Campeonatos Gaúchos de 1921, 1922 e 1926, Os anos 1930 continuaram dando ânimo ao desenvolvimento do Grêmio. Conquistas como o tetracampeonato de Porto Alegre 1930 a 1933 e o bicampeonato gaúcho 1931 e 1932.

A Revista do Globo em 1932 exaltava o elenco do Grêmio tricampeão do Citadino de Porto Alegre.

Time do Grêmio que ergueu o 15º título do clube: o Citadino de 1933, fazendo 5 a 3 sobre o Internacional, no Estádio da Baixada. Os gols gremistas foram anotados por Luiz Carvalho (2), Nenê (2) e Artigas.
O auge de tal era foi 1935, com o famoso Grenal Farroupilha, nome dado, na verdade, ao campeonato citadino inteiro, por ocasião do centenário da Revolução Farroupilha. Ao ganhar do tradicional rival, o Tricolor sagrou-se campeão. Esta foi a última partida de Eurico Lara, que havia começado a jogar pelo clube em 1920, transformando-se em uma lenda do clube. Portanto, tal época proveu ao clube tanto títulos quanto o início da sua tradição e respeito. Após uma onda de profissionalizações do futebol na América do Sul, no início da década de 1930, o Rio Grande do Sul resolveu também migrar para esse novo modo de gerenciar o futebol. No ano de 1937, foi criada no estado a Especializada, departamento profissional filiado à Federação Brasileira de Futebol. Esta fez um campeonato metropolitano não relacionado com o antigo citadino, realizado pelo Federação Rio-Grandense de Desportos (atual Federação Gaúcha de Futebol), que era filiada à Confederação Brasileira de Desportos. Até 1939, mesmo ganhando os três metropolitanos, o Grêmio não se classificou para o Campeonato Gaúcho, por causa de tal divergência, é dirimida nos anos 1940. Com a criação do Conselho Nacional de Desportos, o profissionalismo foi oficialmente adotado pelo Tricolor. No final de 1949, o Grêmio realizou a primeira temporada no exterior de um time gaúcho ao ir para a América Central. Em 1952, o Grêmio contratou pela primeira vez em sua história um atleta negro, Tesourinha, na época jogador veio do Vasco. Contudo, na década de 1910, já havia jogadores afro-descendentes no clube, porém, não de forma oficial: Antunes (1912), Adão Lima (de 1925 a 1935), Hélio e Mário Carioca (ambos na década de 1940) e Hermes da Conceição (1947 a 1950), já haviam jogado no Tricolor, anteriormente. Em 1953 e 1954, o Grêmio fez a sua segunda excursão internacional (desta vez pelo México), Equador e Colômbia. Em abril de 1953, foi iniciada, finalizada apenas em 1954. Telêmaco Frazão de Lima era o treinador.

1954-1980 – Inauguração do Estádio Olímpico e o hepta gaúcho

Equipe do Grêmio de 1950. Liderados pelo atacante Ariovaldo Wendt, no ano anterior a equipe já havia conquistado o Campeonato Gaúcho de 1949. Mais tarde neste mesmo ano, esta equipe venceria o Flamengo pelo placar de 3 a 1, no que seria a primeira vitória de um time de fora do Rio no Maracanã.

Airton Ferreira da Silva, conhecido como “Airton Pavilhão”, zagueiro histórico do clube. Foi hendecampeão (11 vezes) do Campeonato Gaúcho (1956, 1957, 1958, 1959, 1960, 1962, 1963, 1964, 1965, 1966 e 1967). Jogador também foi convocado para a Seleção Brasileira entre 1960 e 1964.
Em 19 de setembro de 1954, o Grêmio inaugurou o seu maior projeto desde a sua fundação: o Estádio Olímpico. Com capacidade para 38 mil pessoas, ele tinha um só anel. No jogo de inauguração, o Grêmio venceu o Nacional, de Montevidéu por 2 a 0.

Nos anos seguintes, o Grêmio disputou treze campeonatos e venceu doze. Conquistou o pentacampeonato Gaúcho e Metropolitano (1956-1960) e o heptacampeonato Gaúcho (1962-1968), sendo esta a maior sequência de títulos do Gauchão do clube. No Gauchão de 1956, bateu o Pelotas; nos anos seguintes, venceu na final o Bagé, o Guarany de Bagé e o Clube Esportivo Aimoré, respectivamente. O Campeonato de 1960 foi decidido em jogos entre quatro equipes (Grêmio, Pelotas, 14 de Julho e Nacional).

O Tricolor também participou da Taça Brasil, que reunia os campeões estaduais, em quase todos estes anos, tendo sido três vezes semifinalista (1959, 1963 e 1967). Também jogou o Torneio Roberto Gomes Pedrosa, e atingiu seu ponto máximo em 1967, quando chegou ao quadrangular final, mas acabou ficando em quarto lugar. Esta época também deu ao clube o título do Campeonato Sul-Brasileiro de 1962, de forma invicta Seguindo a onda iniciada no estado pelo Cruzeiro, de Porto Alegre, que havia excursionado à Europa em 1953, o Tricolor também foi ao Velho Continente, em 1961 e 1962.

Em 1970, o Grêmio teve a primeira convocação de um jogador para a Seleção Brasileira em ano de título mundial. Everaldo foi convocado para o escrete e ganhou uma estrela na bandeira do tricolor. Após o início da década de 1970 contar com domínio do adversário em relação aos Campeonatos Gaúchos, o Grêmio conseguiu, em 1977, reverter a situação e voltar a ser campeão do estado, 9 anos após seu último título desse tipo. O Tricolor venceu o Internacional na final por 1 a 0, com gol de André Catimba e ficou com a taça. Este fato é tido como uma retomada do Grêmio, que culminou em grandes conquistas na década de 1980.

1981-1990 – Década de ouro e a conquista do mundial

Final da Copa Libertadores da América de 1983, primeira partida contra o Peñarol em Montevidéu. Escalação: Mazarópi, Jorge Baidek, Hugo de León, Paulo Roberto, China, Casemiro, Renato Portaluppi, Osvaldo, Caio, Tita, Tarciso.
Copa Libertadores 1983 – Estudiantes 3 x 3 Grêmio Photo 1.pngCopa Libertadores 1983 – Estudiantes 3 x 3 Grêmio Photo 2.jpg
Copa Libertadores 1983 – Estudiantes 3 x 3 Grêmio Photo 3.jpg
“¡Increíble!” segundo a matéria de El Gráfico da Argentina, de 12 de Julho de 1983, exaltando o duelo entre Grêmio e Estudiantes, naquela que seria conhecida como A Batalha de La Plata.
Os anos 1980 começaram bem para o Grêmio. Já em 1980, o time foi campeão do Gauchão. No Campeonato Brasileiro, uma sexta colocação foi conseguida, aquém, porém, dos melhores desempenhos na década passada (quinta em 1973 e 1974). No âmbito de patrimônio, o Estádio Olímpico foi ampliado e se tornou o “Olímpico Monumental”, vista a grandeza da construção. O presidente na época era Hélio Dourado.

Em 1981, apesar de não ganhar o torneio estadual, o Grêmio teve o seu melhor ano desde a sua fundação: conquistou o Brasileirão, que contava, então, com quarenta e quatro times. A final foi em um jogo emblemático contra o São Paulo, no Estádio do Morumbi, em que o Grêmio fez 1 a 0, com um gol de Baltazar. A partir daí, o Grêmio iniciou uma época de ascensão.

Pode-se afirmar que, em termos de títulos, 1983 foi o melhor ano da história do clube. Neste espaço de tempo, venceu a Taça Libertadores e a Copa Intercontinental (competição que teve seu status de mundial reconhecido pela FIFA em outubro de 2017), títulos inéditos para o Rio Grande do Sul. A primeira conquista foi feita em etapas: na primeira fase, o Tricolor foi campeão de seu grupo e “se vingou” (por causa do Brasileirão do ano anterior) do Flamengo, que não se classificou; na segunda fase, o time disputou um triangular com o Estudiantes de La Plata (com quem jogou a Batalha de La Plata, em que o time se viu obrigado a ceder o empate ao adversário depois de estar vencendo por 3 a 1, pela falta de condições de segurança) e com o América de Cáli; vencido o grupo anterior, a final estava desenhada contra o Peñarol, que foi batido por 3 a 2 no placar agregado (1 a 1 e 2 a 1), com destaque para as atuações de Tita (que marcou o gol em Montevidéu), César (que fez o gol decisivo em Porto Alegre) e Renato Portaluppi (que cruzou para o gol de César).

Grêmio vs. Independiente pela final da Copa Libertadores da América de 1984. O Grêmio esteve perto de conquistar o bi-campeonato mas não conseguiu superar o Independiente na final.
Com a vitória na Libertadores, o Grêmio se classificou para disputar a Copa Intercontinental em Tóquio, contra o Hamburgo, que havia ganhado a Copa Europeia (antecessora da Liga dos Campeões da UEFA), vencendo a Juventus na final. Priorizando, a competição mundial, a equipe acabou ficando na terceira colocação do Gauchão daquele ano. O dia da grande partida da história do clube foi 11 de dezembro de 1983, e o local era o Estádio Olímpico de Tóquio. Após sair vencendo com um gol de Renato Portaluppi, o Tricolor cedeu o empate aos alemães nos minutos finais. O jogo, então, foi para a prorrogação. No tempo extra brilhou a estrela de Portaluppi, que, aos três minutos marcou o gol. Como não era morte súbita, o time ainda sustentou o resultado até o final do jogo e comemorou o título, o maior do clube. Renato, o herói do jogo, foi eleito o melhor em campo. Em Porto Alegre, a torcida comemorou em êxtase. Na volta para casa, o Grêmio ainda venceu a Los Angeles Cup, na cidade de Los Angeles, nos Estados Unidos, ao ganhar do América do México nos pênaltis (4 a 3) após empate de 2 a 2. Ao chegar em Porto Alegre, a delegação dos campeões desfilou pelas ruas em um carro de bombeiros. Em 1984, o Grêmio não repetiu o ano anterior por detalhe. Após chegar novamente à final da Libertadores, foi derrotado pelo Independiente, pelo placar agregado de 1 a 0 (0 a 1 em casa e 0 a 0 fora). Contudo, o clube foi hexacampeão gaúcho entre 1985 e 1990, e ainda venceu a primeira edição da Copa do Brasil, em 1989 (vencendo o Sport na final). No ano seguinte, venceu também a primeira edição da Supercopa do Brasil, superando o Vasco da Gama na final.

1991-2002 – A retomada das grandes glórias e o Bicampeonato da Libertadores

Jardel e Paulo Nunes foram os principais destaques da década de 1990. Ambos conquistaram dois Campeonatos Gaúchos (1995 e 1996), uma Copa Libertadores da América e uma Recopa Sul-Americana. Paulo Nunes tam bém conquistou o Campeonato Brasileiro de Futebol de 1996 e a Copa do Brasil de 1997.

Felipão, conquistou a Libertadores de 1995 e foi vice-campeão mundial em 1995.
Em 1991, o Grêmio chegou pela segunda vez à final da Copa do Brasil, tendo sido derrotado pelo Criciúma, equipe treinada por Luiz Felipe Scolari, que ainda nesta década se consagraria como um dos maiores técnicos da história do Tricolor Gaúcho. Porém, neste mesmo ano, o Tricolor foi rebaixado pela 1ª vez à segunda divisão do Campeonato Brasileiro.

Em 1993, o Tricolor voltou a vencer o Campeonato Gaúcho, que não conquistava desde 1990. Nesse mesmo ano, Luiz Felipe Scolari, que já tivera uma passagem pelo clube, em 1987, foi contratado como treinador. Também em 1993, o time voltou à final de um campeonato nacional e foi vice-campeão da Copa do Brasil. No ano seguinte, o time de Felipão não deixou o título escapar, ao vencer o Ceará na final. O título deu direito ao clube de disputar a Copa Libertadores de 1995. O time não disputava tal competição desde 1990, mas, mesmo algum tempo depois de disputá-la pela última vez, foi muito bem.

O time de Felipão contava com o ataque de Paulo Nunes e Jardel e Danrlei no gol, três dos principais jogadores do clube. Mesmo assim, não tinha um grande plantel, mas foi avançando na competição. O ponto alto, antes da final, foram os jogos contra o Palmeiras, pelas quartas de final: em Porto Alegre, 5 a 0 para os gaúchos e em São Paulo, 5 a 1 para os paulistas. O adversário nas semi-finais foi o Emelec: em Guayaquil, empate de 0 a 0 e em Porto Alegre, 2 a 0 para os gaúchos. Na final, o adversário foi o Atlético Nacional, da Colômbia. Com uma vitória de 3 a 1 em casa e empate de 1 a 1 fora, o título ficou com os brasileiros.

Em 1995, também conquistou a Copa Sanwa Bank, disputada no Japão entre os vencedores dos campeonatos japonês de 1994, brasileiro de 1994, da Copa Centenário argentina de 1993, sueco de 1994 e norte-americano de 1994. Classificado para a Copa Intercontinental de 1995 contra o Ajax, o time empatou por 0 a 0 contra os neerlandeses, mas perdeu nos pênaltis por 4 a 3. Entretanto, já no ano seguinte, o clube deu mais uma conquista a sua torcida: o segundo Campeonato Brasileiro, conquistado após derrota em São Paulo contra a Portuguesa de Desportos por 2 a 0 e vitória pelo mesmo placar em Porto Alegre, com um gol de Ailton, nos minutos finais de partida. Também em 1996, o Tricolor venceu a Recopa Sul-Americana, ganhando do Independiente por 4 a 1. No ano seguinte, o título mais importante foi a Copa do Brasil, vencida contra o Flamengo (0 a 0 em casa e 2 a 2 fora). Em 1999, as conquistas foram a Copa Sul e o Campeonato Gaúcho.

No ano de 2000, a direção do clube, então com o presidente José Alberto Guerreiro, firmou um contrato com empresa suíça ISL. A empresa bancaria contratações para o Grêmio, pagando o salário dos jogadores. Com essa parceria, o clube trouxe jogadores como Amato, Astrada, Paulo Nunes e Zinho. Os três primeiros foram pagos pela empresa suíça com três cheques em nome do Grêmio, que chegavam a 500 mil reais, mas os clubes donos de seus passes não receberam o dinheiro, que foi desviado. Após a falência da ISL, foi constado que o Grêmio estava quebrado, visto que teria que pagar por custos que antes a empresa parceira arcava. Em 2001 o clube venceu a Copa do Brasil em final disputada contra o Corinthians (2 a 2 em casa e 3 a 1 fora) e se tornando tetracampeão do torneio. Na Libertadores de 2002, a equipe novamente chegou às semifinais, mas caiu diante do Olimpia, nos pênaltis por 5 a 4.

2003-2011 – Batalha dos Aflitos e a 4ª final de Libertadores

Tcheco foi camisa 10 e capitão na partida entre Grêmio vs. Boca Juniors pela final da Copa Libertadores de 2007.
No ano de seu centenário, em 2003, o Grêmio escapou do descenso apenas na última rodada, com uma vitória sobre o Corinthians, por 3 a 0. A partir desse ano, o Grêmio enfrentou o auge de sua crise financeira. Por causa da situação deixada pela ISL e pelas administrações passadas, o clube acabou atingindo uma situação insustentável. O Tricolor acabou devendo em encargos trabalhistas para jogadores, funcionários e para clubes. Em 2004, com pouco dinheiro em caixa e uma dívida de 101,7 milhões, o time novamente foi montado sem dinheiro e saiu fraco. No Campeonato Brasileiro, conseguiu vencer apenas nove jogos, entre quarenta e seis possíveis e foi rebaixado à Série B pela segunda vez. As dívidas contraídas pelo clube são tidas como fator capital para o rebaixamento do clube.Em 2005, ainda sem dinheiro em caixa, o Grêmio continuava em situação quase falimentar. A dívida ascendia a 108 milhões, sendo 56 milhões a curto prazo. Paulo Odone havia assumido a presidência do clube em lugar de Flávio Obino, cujo mandato acabara no ano anterior. Para tentar contornar a situação, o Hugo De León, ídolo do clube foi contratado como treinador. No Campeonato Gaúcho, o time foi mal. Para tentar inverter a situação, Mano Menezes foi contratado para o lugar do uruguaio.

André Lima foi contratado em 21 de junho de 2010, e mais tarde seria o autor do primeiro gol na Arena do Grêmio.
Na Série B, o time foi mal no início, mas se classificou entre os oito primeiros e conseguiu disputar o quadrangular final. Nesta fase da competição, desperdiçou chances de ganhar da Portuguesa de Desportos e do Santa Cruz. A ascensão teve de ser decidida contra o Náutico, no Estádio dos Aflitos, em Recife. Depois de ter dois pênaltis marcados contra (desperdiçados pelo adversário) e quatro jogadores expulsos, o Tricolor, ainda assim, conseguiu marcar o gol do título, feito por Anderson. Desse modo , o time conseguiu a subida novamente à Série A, no jogo que ficou conhecido como A Batalha dos Aflitos. Na Copa Libertadores 2007, o time chegou até a final, mas foi derrotado pelo Boca Juniors (3 a 0 fora e 0 a 2 em casa). No Campeonato Brasileiro de 2007, o sexto lugar foi a colocação final. Já no Campeonato Brasileiro de 2008, a equipe comandada por Celso Roth chegou a liderar o campeonato por 17 rodadas, ao assumir a posição devido a súbita queda de desempenho do Flamengo. O clube manteve a boa campanha atingindo uma série de 12 jogos sem derrotas. Curiosamente, a série foi quebrada com uma derrota para o Flamengo. Entretanto, esta derrota não foi suficiente para o Grêmio perder a liderança. O clube decidiu até a última rodada o título contra o São Paulo, mas acabou ficando com o vice-campeonato. Com a classificação para a Copa Libertadores de 2009, nas semifinais, ao perder pelo placar agregado de 5 a 3 (3 a 1 fora e 2 a 2 em casa) para o Cruzeiro. No intervalo de agosto de 2008 e julho de 2009, segundo o ranking da IFFHS, o Grêmio na nona colocação do ranking de clubes do mundo, sendo o melhor brasileiro e segundo melhor sul-americano, atrás somente do Estudiantes de La Plata, então campeão da Copa Libertadores daquele ano. Em 2010, o clube chegou a semifinal da Copa do Brasil mas foi eliminado pelo Santos após vencer por 4 a 3 em casa e perder por 3 a 1 na Vila Belmiro.

2012-2018 – A Arena, o retorno do Rei de Copas e o Tricampeonato da Libertadores
Ficheiro:Grêmio 1 x 0 Lanus – Final da Libertadores 2017.webm
Grêmio vs. Lanús, final da Copa Libertadores da América de 2017, lance do gol da partida, anotado por Cícero.
Nos primeiros anos da Arena, havia grandes expectativas sobre o retomada de títulos importantes após um jejum que durava anos (desde o Tetracampeonato da Copa do Brasil de 2001). Para isso, a direção apostava em nomes experientes como Zé Roberto, Elano, André Santos, Hernán Barcos, Dida, todos com passagens pelas suas seleções, na tentativa de trazer títulos de expressão mas sem sucesso. De 2012 a 2015 pode-se destacar as boas campanhas no Brasileiro de 2013 ao se estabelecer na 2ª colocação final e na Copa do Brasil de 2013 e 2014, alcançando as semi-finais. Também podemos citar a primeira vitória gremista em Grenais na Arena, pela goleada de 4 a 1 em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro de 2014 e também a maior goleada em Grenal por Campeonatos Brasileiros e do Século XXI, jogo que ficou conhecido como Grenal dos 5 a 0, no Campeonato Brasileiro de 2015.

Luan, eleito melhor jogador da Copa Libertadores de 2017 e também eleito pelo El País (Uruguai), como o Rei da América em 2017.
Seria em 2016 que o Grêmio retomaria o caminho das grandes conquistas. Apesar de não começar o ano bem, depois de ser eliminado na semifinal do Campeonato Gaúcho de 2016 pelo Juventude, dentro da Arena do Grêmio e posteriormente, mesmo após campanha razoável na fase de grupos da Copa Libertadores, ser eliminado pelos argentinos do Rosário Central, nas oitavas de final. Com campanha mediana no Campeonato Brasileiro, o clube liberou o técnico Roger Machado, que foi substituído pelo ídolo Renato Gaúcho. Renato comandou o time do Grêmio desde a segunda partida das oitavas de final da Copa do Brasil, quando eliminou o Athlético/PR nos pênaltis depois de perder por 1 a 0 dentro de casa. No jogo de ida, ainda comandado por Roger Machado, o Tricolor havia vencido por 1 a 0 em Curitiba. Depois disso, na caminhada pelo título, o Grêmio eliminou Palmeiras e Cruzeiro até chegar na final contra o Atlético/MG. A primeira partida da final foi realizada em 23 de novembro de 2016, no Mineirão, onde um público de quase 48 mil pessoas viu o Grêmio vencer por 3 a 1, fora de casa, com dois gols de Pedro Rocha e um de Everton. O gol dos mandantes foi marcado por Gabriel. No jogo de volta, podendo perder até mesmo por um a zero, o Grêmio sagrou-se pentacampeão da Copa do Brasil de Futebol de 2016 após empate em 1 a 1 na Arena do Grêmio, encerrando um jejum de 15 anos sem títulos de expressão a nível nacional. Paralelamente, terminou o Campeonato Brasileiro na 9ª posição.

Pedro Geromel, capitão que levantou a taça da Copa Libertadores de 2017, foi eleito pelo El País (Uruguai) como melhor zagueiro da competição. Também foi um dos 23 convocados de Tite para a disputa da Copa do Mundo FIFA de 2018.
No ano de 2017, em sua décima sétima participação em Copa Libertadores, o Grêmio alcançou o o terceiro título, com destaque para a defesa de Marcelo Grohe no jogo contra o Barcelona de Guayaquil pelas semifinais, que virou sensação na mídia mundial e comparada a defesa de Gordon Banks. Enfrentou o Lanús nos dois últimos jogos, clube do bairro de Buenos Aires e estreante em finais de Libertadores. Na primeira partida, Cícero marcou o gol que colocou o Grêmio em vantagem para a última partida em Buenos Aires. Na Argentina, sem temer a pressão dos mandantes chegou a abrir 2 a 0 no primeiro tempo com gols de Luan e Fernandinho. José Sand descontou de pênalti para os locais. Pedro Geromel historicamente se juntou a Hugo de León e Adílson Batista como capitães tricolores que levantaram a taça mais prestigiada da América.

Com a conquista da Copa Libertadores da América de 2017, Grêmio garantiu vaga na Copa do Mundo de Clubes da FIFA de 2017. O primeiro jogo, a semi-final contra o Pachuca do México terminou em 1 a 0 para o tricolor, com gol marcado aos acréscimos por Everton. O adversário da final foi o clube espanhol Real Madrid, 11 vezes campeão da Liga dos Campeões da UEFA e havia se classificado após vencer la champions por 4 a 1 a equipe da Juventus e depois de eliminar o Al-Jazira nas semifinais por 2 a 1. O time madrileño foi a campo com a sua força máxima, jogadores que são atuais titulares em suas respectivas seleções nacionais e dono da FIFA Ballon d’Or de 2017, Cristiano Ronaldo. A equipe do Grêmio não pode contar com o destaque da Libertadores o jovem Arthur (por conta de lesão), Cícero (autor do gol da final na primeira partida) e Cristian por conta do regulamento da FIFA sobre transferências no Mundial. Após resistir grande parte da primeira etapa com atuações sólidas dos defensores, em destaque para o capitão Pedro Geromel, Cristiano Ronaldo abriu o marcador aos 53 minutos em uma cobrança de falta. O jogo terminou 1 a 0 para a equipe de Madrid. Encerrou a competição como segundo melhor clube do mundo em 2017 e sendo a única equipe gaúcha a participar de todos os campeonatos oficiais da FIFA como finalista. Ratificando as expectativas no inicio de 2018, viria também a se tornar bi-campeão da Recopa Sul-Americana. Em um embate de dois jogos com o campeão da Copa Sul-Americana de 2017, o Independiente (repetindo o confronto da Recopa Sul-americana de 1996) o Grêmio acabou empatando ambos os confrontos (1 a 1 em Avellaneda e 0 a 0 em Porto Alegre). Com a igualdade no marcador persistindo mesmo durante a prorrogação, a decisão do título precisou acontecer nas penalidades. Após ver os seus companheiros converterem as cinco cobranças iniciais, Marcelo Grohe decretou o título do Grêmio bloqueando a penalidade cobrada pelo atacante Martín Benítez. A vitória por 5 a 4 nas penalidades assegurou o terceiro título do Grêmio em apenas um ano e meio, e colocou uma superioridade em confrontos diretos de finais contra o Rey de Copas argentino. Após ser eleito por 3 anos seguidos como melhor zagueiro pela Bola de Prata da Revista Placar/ESPN (2015, 2016, 2017), conquistando 4 títulos pelo Grêmio, Pedro Geromel foi convocado por Tite como um dos 23 jogares de Tite que disputarão a Copa do Mundo FIFA de 2018. Maicon, Arthur e Luan ficaram na lista de suplentes.

Torcida
Ver artigo principal: Públicos do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense

Torcida do Grêmio em 1946, ano do surgimento do Mosqueteiro como mascote do clube, junto com a criação do slogan “Com o Grêmio onde estiver o Grêmio”, onde o torcedor e bibliotecário do Grêmio Salim Nigri, levava a faixa para os estádios.
Os torcedores do Grêmio são denominados “gremistas” ou “tricolores”. Uma pesquisa realizada pelo instituto Paraná Pesquisas, em 20 de dezembro de 2016, mostrou que a equipe tem a sétima maior torcida do Brasil, com um percentual de 3,5% da população, e a maior torcida da região Sul do Brasil, com um percentual de 20,5% da população. A pesquisa Datafolha de 2018, segue confirmando o Grêmio como a equipe com mais torcedores na região sul (20% do total), e a 7ª maior do país com 3%.

Redes sociais

Manifestação da torcida do Grêmio contra o futebol moderno.
Em 2017, o Globoesporte.com elaborou o mapa das curtidas na rede social Facebook de clubes de futebol no Brasil. O mapa mostrou a predominância gremista em todo o Rio Grande do Sul, oeste de Santa Catarina e sul do Paraná. Também é a 5ª equipe mais curtida no Mato Grosso. Segundo o IBOPE, em 2018 o Grêmio é a 6ª equipe do país no ranking digital, alcançando a marca de 3 milhões de curtidas no Facebook, 2 milhões de seguidores no Twitter e 500 mil de seguidores no Instagram. O clube ainda conta com direcionamentos específicos de postagens para países de língua inglesa e espanhol no Twitter e no Facebook, sendo uma das primeiras equipes do país a adotar essa estratégia de divulgação da marca para o mundo.

Sócios
Em 2010, a equipe contava com pouco menos de 60 mil associados em dia, porém, atualmente a equipe conta com 125 800 associados em dia, sendo o maior clube do Brasil em número de associados. Este aumento pode ter sido ocasionado pelo recente título da Copa do Brasil de 2016 e pelo aumento de modalidades na qual o torcedor pode associar-se.

Além dos planos de associação normais, existem outros planos destinados aos torcedores em geral. No “Exército Gremista”, o torcedor faz o cadastro, paga uma taxa de adesão e recebe um cartão, fazendo parte deste grupo. Esta campanha, fundada em 2009, visou criar um banco de dados dos torcedores do clube, facilitar a compra de ingressos e acessórios do clube para os membros e adequar-se ao cadastramento de torcedores pretendido pelo Ministério do Esporte. Filiado a esta campanha, surgiu a “Artilharia Tricolor”, fundado em 2010 como um programa de fidelidade, que soma pontos para torcedores que compram produtos oficiais do clube, esses pontos que podem ser trocados por outros produtos oficiais. Foi criado com o objetivo de reduzir a inadimplênciade associados.

Torcidas organizadas
Entre as organizadas do Grêmio atuais estão a Geral do Grêmio e a Torcida Jovem do Grêmio. Durante a década de 1970, a Coligay teve uma notória atuação.

Símbolos
Bandeira

Lançamento da 3ª bandeira do Grêmio FBPA em 1944.
A primeira bandeira foi exibida pela primeira vez pelo clube na inauguração da Baixada. Tratava-se de um estandarte listrado horizontalmente em azul, preto e branco com o distintivo no canto superior esquerdo. Em 1918, uma torcedora homenageou o clube com uma bandeira tal como a brasileira, a qual passou a ser utilizada. Suas cores, contudo, diferenciavam-se da nacional ao substituir o fundo verde pelo azul, trocar o amarelo do losango pelo branco e mudar o círculo azul pelo distintivo do clube. Esse modelo foi utilizado até 1947, devido a uma lei que proibia imitações do símbolo nacional.

De 1944 a 1963, a estandarte era semelhante à do Reino Unido, mas tinha o distintivo do clube, localizado à esquerda. A tradicional bandeira, também similar à do Reino Unido, mas com cores distintas surgiu em 1963 e é utilizada até hoje. Seu fundo é azul e duas listras diagonais, uma horizontal e um vertical que se interseccionam no centro do estandarte, todas pretas com bordas brancas a compõe, sendo completada pelo distintivo do Grêmio no meio. Há uma estrela dourada também na bandeira do clube, que representa o jogador Everaldo, eterno craque imortal dos anos 1970 que foi o primeiro atleta atuando por um clube gaúcho a ser Campeão do Mundo pela Seleção Brasileira de Futebol.

Escudo
O Grêmio, assim como vários outros clubes do Brasil, teve constantes e importantes mudanças em seu escudo no decorrer da história. Iniciado em 1903, o Grêmio teve como primeiro símbolo um emblema em azul e branco, logo depois substituiu esse por um escudo em formato de bola de futebol, que se manteve durante as décadas, sofrendo diversas alterações. Em alguns anos, como em 1922 e em 1953 o escudo do Grêmio contou com a cor amarela, mesmo que não seja uma de suas cores oficiais. Dentre os modelos utilizados, dois são comemorativos, o de 1922 em comemoração aos 100 anos da Independência do Brasil, modelo não utilizado em competições, e o de 1953 em comemoração ao cinquentenário da equipe. O escudo de 1920 é inspirado nas bolas de futebol da época, sendo o modelo inicial da evolução do escudo do clube. A partir de 1930, o escudo passou a ter contornos em azul ao invés do preto, que ocupava apenas a parte central do escudo. Em 1940, o escudo perdeu os polos brancos, que passaram a ser azul, ganhando novamente um contorno preto. Em 1950, a cor do escudo ficou mais clara e foram removidas as duas esferas existentes nos polos do escudo, que somente seriam retomadas em 1960 com fundo branco.

De 1920 até 1960, pouca coisa havia mudado no escudo do Grêmio. A grande mudança veio no ano de 1963, quando a palavra “Grêmio” passou a ter destaque no escudo, ocupando a parte central do símbolo e as esferas dos polos passaram a ter fundo azul. Essa foi a mudança mais marcante no escudo na época, elaborado por comissão formada por alguns membros da diretoria do clube. O logo não sofreu mudanças significativas em 1970, todavia, na década de 80 uma nova grande transformação, o logo passava a ter duas linhas de contorno uma maior em branco e uma fina em preto, no extremo do símbolo. Os escudos da década de 90 não sofreram grande modificação, uma vez que o clube acabou por encontrar um padrão ao escudo que atualmente é utilizado. Eventualmente foram feitas pequenas e até imperceptíveis modificações no escudo que se mantém até hoje.

Estrelas

Mascote Oficial
Com a conquista dos grandes títulos na década de 80, o Grêmio decidiu destacar suas glórias, com isso criou um adorno em seu escudo, adicionando três estrelas, uma de bronze em referência ao Campeonato Brasileiro de 1981, outra prateada pela Copa Libertadores de 1983 e uma terceira em dourado pela Copa Intercontinental.

As estrelas começaram a fazer parte inclusive da camisa do clube, prática que se mantém até hoje. Mesmo que ainda sejam utilizadas, as estrelas atualmente possuem outro significado. Com as conquistas obtidas após a década de 80, o Grêmio destaca a estrela de bronze como as conquistas nacionais (Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Supercopa do Brasil) a estrela de prata se refere as conquistas continentais (Copa Libertadores e Recopa Sul-Americana) e a dourada pela Copa Intercontinental.

Mascote
O mascote do Tricolor Gaúcho foi adotado oficialmente em 1946, após a publicação interna do clube com título tal como “Mosqueteiro”. Desse modo, o mosqueteiro foi criado, vestindo as cores do clube. Em 2001, foi realizado um concurso para a escolha de um novo desenho de mascote, que seguisse o padrão da figura. O escolhido foi o desenho de Hilton Edeniz Oliveira Ávila.

Hino

Eurico Lara é mencionado no hino do clube como “craque imortal”.
Ver artigo principal: Hino do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense
O primeiro hino foi composto em 1924 por Isolino Leal. Ele exultava a força do clube e o amor a ele. Posteriormente, em 1946, foi realizado um concurso pela diretoria do clube para a escolha de um novo hino. A composição escolhida foi a de Breno Blauth, gravada por Alcides Gonçalves.

O hino atual foi composto por Lupicínio Rodrigues, em 1953. Lupi, que era gremista, estava em durante uma tarde no Restaurante Copacabana, no bairro Cidade Baixa, em Porto Alegre, quando teve a ideia, em uma conversa com amigos. Ao longo das estrofes, o hino cita a fé e o fanatismo dos gremistas. Eurico Lara, goleiro que atuou no Grêmio entre a década de 1920 e 1930, é citado como “craque imortal”.

Outra referência histórica é o verso “Com o Grêmio onde o Grêmio estiver”, estampado em uma faixa feita por Alfredo Obino durante uma greve de bondes, em 1953. O maestro Salvador Campanella, um dos mais conceituados da área no estado, ficou a cargo de elaborar a partitura da canção.

Uniforme
Origem
O primeiro uniforme do Grêmio foi baseado nas vestimentas do clube inglês Exeter City. Na época da fundação do clube, foram escolhidas para a primeira camisa as cores azul e havana (em tecido listrado horizontalmente), que compunham o uniforme com a gravata e faixa na cintura em branco e, com calção e meia em preto. Mas havana não era uma cor muito comum e logo se percebeu que não haveria quantidade suficiente daquele tecido no comércio para atender à necessidade crescente. Assim, ainda em 1904, o listrado horizontal azul e havana foi substituído pelo azul e preto dividindo verticalmente a camisa.

Nos anos seguintes, as cores azul, preto e branco coloriram o uniforme do Grêmio em várias combinações diferentes, até 1928, quando surgiu o modelo definitivo da camiseta tricolor: listas verticais azuis, pretas e brancas.

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Atual
Patrocínio
O Grêmio utiliza patrocínios em sua camiseta desde 1987, quando assinou um acordo com a Coca-Cola, utilizando um logotipo sem a cor vermelha, apenas em preto e branco, um fato raro na história publicitária da marca. Este patrocínio durou até março de 1995, quando foi assinado um contrato com as Tintas Renner, tendo sido utilizado o nome da companhia entre 1995 e 1996, e o nome de seu produto Ironcryl em 1997. De 1998 até 2000, o Grêmio estampou a marca da General Motors em suas camisas, representada pelos veículos Corsa, Astra, Vectra, S-10, Celta e o Banco GM.

Após um breve período sem patrocinador, foi firmado em 2001 um acordo com o Governo do Estado do Rio Grande do Sul para estampar a marca do Banrisul em sua camisa, inicialmente para pagamento de uma dívida com o banco, e depois realizando-se o pagamento de um valor fixo mensal, que perdura até os dias de hoje. Além do Banrisul, o Grêmio conta com os patrocínios de Unimed, Coca-Cola e TIM.

A partir de 2005, quando a Puma foi escolhida como fornecedora do material esportivo, é comum se lançar o novo fardamento antes do começo do Campeonato Brasileiro, no mês de maio. Entre o curto período de 2011 a 2014, a empresa Topper foi a fornecedora oficial do clube. Ao encerrar contrato com a Topper, o clube encerrou uma parceria de 10 anos com a Filon, que administra as marcas Puma e Topper.

Em 2015, o clube anunciou sua nova patrocinadora, a marca inglesa Umbro.


Patrocinado