Patrocinado


Você está em: Salgueiro Atlético 2021 - Jogo de Hoje

O Salgueiro Atlético Clube (conhecido apenas por Salgueiro e cujo acrônimo é SAC) é uma associação esportiva brasileira fundada em 1972, no município de Salgueiro, no estado de Pernambuco, tendo interrompido suas atividades no fim da década de 1970, e as retomado na mesma data em 2005. Seu maior feito foi o título estadual de 2020.

No futebol, é um dos clubes mais bem-sucedidos do estado de Pernambuco, despontando como uma das maiores forças do futebol pernambucano. Com oito anos atuando como profissional, a equipe já ganhou três títulos e em 2013, tornou-se o segundo time na história do interior de Pernambuco a disputar uma edição da Copa do Nordeste e pela sétima vez disputou o Campeonato Pernambucano de futebol na elite, além de ter disputado a série B do campeonato Brasileiro em 2011.

Em 2014 foi campeão da Taça Miguel Arraes, equivalente ao 1º turno do Campeonato Pernambucano. Em 2015 o Carcará chegou as quartas de finais da Copa do Nordeste sendo esta sua melhor campanha no certame e ainda chegou na final do Campeonato Pernambucano, feito até então inédito do clube sertanejo quando foi vice-campeão estadual. Em 2020, venceu o Santa Cruz nos pênaltis para assegurar o primeiro Campeonato Pernambucano de sua história e do interior pernambucano, encerrando o domínio de Náutico, Sport e Santa Cruz que se alternavam como campeões desde 1944. Em 2020, se consagrou o primeiro clube do interior do estado a vencer o pernambucano.

História

acesso a cidade de Salgueiro pela BR-232.
O clube foi fundado em 23 de março de 1972 com o nome de Atlético de Salgueiro. O time era amador e seu maior rival era o Comercial de Serra Talhada. No ano de sua fundação, o Atlético de Salgueiro fez uma das mais importantes partidas da sua história contra o Fluminense/RJ, clube que inspirou as suas cores,[5] em uma partida amistosa no Estádio Cornélio de Barros. Na ocasião, o Fluminense goleou o Salgueiro por 3 a 0. O time acabou fechando as portas, mesmo sendo amador, no final da década de 1970, só retornando aos gramados 25 anos depois. Em 2005, veio a profissionalização. O time ficou em 3º lugar no Campeonato Pernambucano da série A2, perdendo a vaga na última rodada para o Estudantes de Timbaúba em um jogo turbulento e marcado pela violência, mas graça à desistência do Itacuruba (Que disputava a elite estadual) o carcará subiu para a 1ª divisão do futebol pernambucano. Nesse mesmo ano, conquistou os títulos da Copa PE e Copa Integração.

Em 2006, ano da sua primeira participação no Campeonato pernambucano da 1ª divisão, o time chegou à fase final do 1º turno com chances de título, mas a pífia campanha no 2º turno acabou ocasionando o rebaixamento. No ano de 2007, o Salgueiro conquistou o título do Campeonato Pernambucano da série A2, vencendo a equipe do Sete de Setembro nas duas partidas. Na semifinal obteve um empate emocionante no clássico contra o Petrolina em 3 a 3, onde o gol do acesso do Carcará saiu aos 47 do segundo tempo e assim, retornando à primeira divisão. Antes disso, a equipe eliminou o Atlético de Vicência nas quartas-de-final.

Em 2008, o time fez uma brilhante participação no Pernambucano, terminando em 4º lugar, e garantindo uma vaga na Campeonato Brasileiro da Série C. Em sua primeira participação em competições nacionais, terminou em 14º lugar dentre 64 clubes e garantiu a sua vaga na Série C em 2009, tendo em vista que a CBF criou a Série D. Os 20 melhores da Série C de 2008, excluídos os 4 primeiros que subiram pra Série B, automaticamente permanecerem na C para o ano seguinte. O clube repete a boa campanha no Pernambucano em 2009, terminando na 4ª colocação. Na Série C de 2009, o clube terminou em 10º lugar, sendo eliminado ainda na 1ª fase, ficando atrás somente do ASA e do Icasa no Grupo B.

Torcedor no Estádio Cornélio de Barros.
Em 2010, no dia 17 de outubro, data histórica para o clube do sertão pernambucano, o Salgueiro conquistou o acesso à Série B do Campeonato Brasileiro, após vencer o Paysandu de virada pelo placar de 3 a 2, fora de casa, no estádio do Curuzu lotado. O placar anterior em Salgueiro havia sido de 1 a 1.

Já em 2011, a equipe fez sua estreia no Campeonato Brasileiro Série B. No primeiro jogo empatou contra o São Caetano por 1 a 1, mesmo placar da segunda partida contra o ABC em Natal. A primeira vitória só saiu na 3ª rodada frente ao Duque de Caxias, por 2 a 0. Por sua vez, a primeira derrota veio na 4ª rodada diante do Paraná Clube, pelo placar de 1 a 0 em Curitiba. Terminou o campeonato na 19º colocação, tendo sido rebaixado à série “C” Nacional. Em 2012, o Salgueiro conseguiu uma das 4 vagas para as semifinais do estadual. O jogo da semifinal foi contra o Santa Cruz, o primeiro jogo em Salgueiro, o time da casa venceu pelo placar de 2 a 1, mas no jogo da volta em Recife, o Santa Cruz venceu por 3 a 1, assim encerrando a melhor campanha da história de um time do sertão do estado acabando o campeonato na 3ª colocação. Infelizmente, porém, o clube fez uma péssima campanha na série “C” do Campeonato Brasileiro terminando na penúltima colocação do grupo “A” e na 17 ª colocação geral caindo para a série “D” do Campeonato Brasileiro de 2013.

No ano de 2013, no estadual, o clube não conseguiu mostrar a tradicional força jogando em seus domínios e acabou o campeonato na modesta 6ª colocação. Por outro lado, nas competições nacionais do ano, o Carcará fez excelentes campanhas. Teve uma brilhante campanha na Copa do Brasil de 2013. Na Série D, após vencer o Plácido de Castro/AC por 3 a 1, depois de ter empatado no jogo de ida por 1 a 1, o Salgueiro avançou às semifinais do torneio e garantiu o acesso de volta à Série C, um ano após ter sido rebaixado. Antes disso, havia eliminado o Nacional/AM nas quartas de finais. A equipe ainda fez sua estreia na Copa do Nordeste terminando na última posição do Grupo C, que contava com o Vitória/BA, ASA de Arapiraca/AL e América/RN. O seu jogador nigeriano Yerien foi quem marcou o primeiro gol transmitido pela TV Esporte Interativo no Nordestão, na vitória de 1 a 0 sobre o ASA.

A Brilhante campanha na Copa do Brasil 2013
Na Copa do Brasil de Futebol, o clube conseguiu avançar para as Oitavas de Final, sendo assim o primeiro clube da história do interior de Pernambuco a conseguir tal feito, eliminando na 1ª fase o Boa Esporte Clube, na 2ª fase o Vitória e na 3ª fase o Criciúma.

Enfrentou nas oitavas o Internacional/RS. No primeiro jogo os gaúchos venceram pelo placar de 3 a 0 atuando no Rio Grande do Sul e no jogo da volta, empate por 2 a 2 encerrando assim a participação brilhante do clube na competição.

Ano de 2014
Em 2014 o Salgueiro disputou 2 competições: O Pernambucano e o Brasileirão Série C. No Campeonato Pernambucano, na primeira fase que, dava vaga ao Hexagonal do Título junto com os três primeiros colocados da edição passada (Sport, Náutico e Santa), estavam somente times do interior, o Salgueiro foi o primeiro colocado de ponta a ponta e levou o Troféu Miguel de Arraes. Na segunda fase (Hexagonal do Título) o Salgueiro fez uma boa Campanha. No geral, terminou em 3º lugar. Na semifinal venceu a primeira partida contra o Náutico por 2 a 0 no Salgueirão, mas acabou sendo derrotado no segundo jogo por 1 a 0 a decisão foi para os pênaltis, com o Náutico vencendo por 5 a 3, tornando-se o primeiro finalista do Campeonato Pernambucano 2014. Na decisão do terceiro lugar, o Salgueiro venceu o Santa Cruz por 2 a 1 no Recife, e como havia empatado por 1 a 1 em casa, ficou com a 3ª colocação, ganhando vaga para Copa do Nordeste e Copa do Brasil do ano seguinte.

Já no Brasileirão da Série C, Salgueiro fez boa campanha também na série C, ficou em terceiro colocado na fase de grupos. E na fase de quartas de finais, Carcará foi eliminado pelo Mogi-Mirim, depois de perder o primeiro por 1 a 0 no Salgueirão, com ilustre presença de Rivaldo presidente do clube Paulista na cidade. No segundo jogo o Carcará não conseguiu reverter e empatou por 0 a 0 e viu o sonho de voltar para a série B ficar para a próxima.

Ano de 2020
Em 2020, vence o Santa nos pênaltis e se sagrou campeão estadual.

O clube
Associados
Profissionalizado há apenas dez anos, o Salgueiro ostenta uma regularidade na Série C, tendo ascendido uma vez à Segundona, e na década atual vêm brigando quase sempre no mata-mata local e desde subiu da D em 2013, vem sempre alcançando as melhores posições no geral sendo que em 2014, ficou entre os sete melhores na classificação geral. Assim, ganhou força e apoio.

Em 2016, o Salgueiro lança seu programa de sócios Sou Carcará. Nos primeiros 12 meses de funcionamento, conseguiu a adesão de 685 associados titulares. De acordo com Geraldo Neto, idealizador do programa, o número de adesões neste primeiro ano não foi maior porque o torcedor salgueirense ainda não tem o costume de pagar pelo ingresso do jogo. Um reflexo dos anos do Todos com a Nota, quando o bilhete para ver a partida era trocado por notas fiscais.

Bens e acomodações
Estádio

Estádio Cornélio de Barros
O Salgueiro realiza seus jogos no Estádio Municipal Cornélio de Barros Muniz, mais conhecido como “Salgueirão”, em Salgueiro/PE, com capacidade para 12.070 pessoas.

O Estádio Cornélio de Barros , popularmente conhecido como Salgueirão, é um estádio de futebol, localizado na cidade de Salgueiro, estado de Pernambuco, pertence à Prefeitura Municipal, é utilizado pelo Salgueiro. O apelido Salgueirão tem origem no nome da cidade onde está localizado. Foi inaugurado em 1972, sua capacidade inicial era de 5 mil torcedores, em 2011/2012 foi aumentado para 12 mil torcedores.

Centro de treinamento
Com inicio das obras em 2012, o Salgueiro vem construindo seu primeiro Centro de treinamento de futebol, o primeiro do sertão. Localizado próximo à região do Serrote do Cruzeiro, quando finalizado terá 3 campos profissionais, um alojamento com 120 vagas, quadra, piscina, vestiários e dormitórios, construídos em uma área de 25 hectares

Símbolos
Mascote

Carcará
O mascote do Salgueiro é uma espécie de ave de rapina da família dos falconídeos chamada de Carcará, muito comum no sertão nordestino. O carcará é facilmente reconhecível, quando pousado, pelo fato de ter uma espécie de solidéu preto sobre a cabeça, assim como um bico adunco e alto, que se assemelha à lâmina de um cutelo; a face é vermelha. É recoberto de preto na parte superior e tem no peito de uma combinação de marrom claro com riscas pretas, de tipo carijó/pedrês; patas compridas e de cor amarela; em voo, assemelha-se a um urubu, mas é reconhecível por duas manchas de cor clara na extremidade das asas.

Presente em todo o Brasil e nos Estados Unidos (Flórida) à Terra do Fogo, no extremo sul da América do Sul. Comum em campos e pastagens com árvores isoladas, plantações e outras áreas abertas. Vive solitário, aos pares ou em grupos.

Pousa em árvores ou cercas, sendo frequentemente observado no chão, junto às queimadas e ao longo de estradas. É onívoro, alimentando-se tanto de animais vivos como mortos. O carcará não é, taxonomicamente, uma águia e sim um parente distante dos falcões. Diferentemente destes, no entanto, não é um predador especializado e sim um generalista e oportunista (assim como os seus parentes próximos, o chimango e o gavião-carrapateiro), alimentando-se de insetos, anfíbios, roedores e quaisquer outras presas fáceis; ataca crias de mamíferos (como filhotes recém-nascidos de ovelhas), acompanha urubus em busca de carniça, são aves necrófagas. Passa muito tempo no chão, ajudado pelas suas longas patas adaptadas à marcha, mas é também um excelente voador e planador.


Patrocinado